Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Glicobiomarcadores na progressão tumoral durante a cinética de indução do perfil de resistência a múltiplas drogas em câncer.

Coordenadora: Lucia Mendonça Previato

Colaboradores:
Franklin David Rumjanek (Prof. Titular, UFRJ)
Marcia Marques Capella (Prof. Associado, UFRJ)

Equipe:
Pós-Doutores:
José Oswaldo Previato
Leonardo Freire de Lima

Pós-Doutorandos:
Eduardo Salustiano Jesus dos Santos
Leonardo Marques Fonseca
Luciana Boffini Gentile

Doutorandos:
Lucas Rodrigues Jacques da Silva
Vanessa Amil da Silva

Mestrandos:
Thalles Sequeiros de Figueiredo

A adição de açúcares (glicosilação) às proteínas e aos lipídios, afeta as funções celulares incluindo as interações célula-célula e célula-molécula. Para que uma célula tenha um comportamento "normal" a glicosilação necessita estar funcionando corretamente.

Vários grupos de pesquisadores têm demonstrado que a mudança para malignidade, em vários tipos de câncer, está associada a alterações na estrutura química dos oligossacarídeos ligados a lípidios e a proteínas. Há evidências de que estas alterações podem ter um efeito fundamental sobre a célula tumoral. Nossa equipe vem estudando uma das formas de adição de açúcares a proteínas que é encontrada em moléculas denominadas mucinas. Estruturalmente, as mucinas são glicoproteínas cujos aminoácidos, serina e treonina, podem estar substituídos por alfa-N-acetil-galactosamina (α-GalNAc) com a posterior adição sequencial de outros açúcares à esta unidade α-GalNAc. O principal objetivo deste projeto é compreender as alterações que ocorrem na glicosilação de proteínas em doenças humanas, especialmente no câncer. Queremos verificar se a expressão de oligossacarídeos ou glicanas (sequência de açúcares) alterados, anormais ou inapropriados nas células está relacionada com o prognóstico de determinados tipos de câncer e em células que mostram um perfil de resistência a múltiplas drogas (MDR). Os objetivos específicos envolvem a (i) biologia estrutural das glicanas e a (ii) análise da expressão de glicosiltransferases, comparando células tumorais MDR e não MDR. Estes procedimentos permitirão compreender melhor o processo da doença a nível molecular, e visam, também, desenvolver novos e eficazes métodos de prognóstico, diagnóstico e terapia.

Para contato com a equipe, e-mail: luciamp@biof.ufrj.br

design manuela roitman | programação e implementação corbata