Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Interação microglia-glioblastoma: o papel de proteínas microgliais na progressão tumoral.

Coordenadora: Flavia Regina Souza Lima

Colaboradores:
Ana Helena Correia (Médica, HUCCF, UFRJ)
Fernanda Tovar Moll (Prof. Adjunto, UFRJ)
Helena Borges (Prof. Adjunto, UFRJ)
Jorge Marcondes (Médico, HUCFF/UFRJ)
Vivaldo Moura Neto (Prof. Emérito, UFRJ)

Equipe:
Pós-Doutores:
Anna Carolina C. Fonseca

Doutores:
Celina Garcia da Fonseca

Doutorandos:
Luiz Henrique Medeiros Geraldo
Rackele Ferreira do Amaral

Mestrandos:
Izabella Grimaldi Rodrigues da Silva

Nosso grupo vem investigando fatores secretados por células do microambiente tumoral, em especial, células da microglia, que possam modular o crescimento e invasão de tumores cerebrais. Os Glioblastomas (GBMs) são tumores cerebrais extremamente agressivos, com alto grau de invasão e proliferação, além de insensíveis a radio e quimioterapia. O microambiente tumoral é um fator-chave para o desenvolvimento desses tumores (Lima et al., 2012; Garcia et al., 2014; Fonseca et al., 2016). Neste sentido, pouco é conhecido sobre a resposta imune e, especificamente, interações do GBM com a microglia, os macrófagos residentes do sistema nervoso central. No caso de tumores intracranianos, a microglia adquire um interessante fenótipo acumulando-se nas margens da massa tumoral e produzindo fatores que promovem o crescimento do tumor. Dentre os fatores reguladores da progressão tumoral que nosso grupo estuda está a proteína prion celular (PrPc) e seu ligante, a proteína 1 induzida por estresse (STI1). No cérebro normal, PrPc é altamente expressa e está envolvida em diversos eventos durante o desenvolvimento, regulando a sobrevivência, diferenciação e proliferação de células do sistema nervoso (Lima et al., 2007; Arantes et al., 2009; Harttman et al., 2012). Num contexto patológico, recentemente nós mostramos que a expressão de STI1 aumenta de acordo com o desenvolvimento do tumor (Fonseca et al., 2014). Além disso, demonstramos in vitro que a microglia secreta STI1 e promove proliferação e migração de células de GBM humano (Fonseca et al., 2012). Pretendemos investigar a função de PrPc e seu ligante STI1 na progressão do GBM agora numa abordagem in vivo, utilizando animais que não expressam PrPc (nocautes) ou que superexpressam a proteína. Além de PrPc e seu ligante STI1, estudamos também outros fatores como a citocina CCL21, super expressa no câncer; e o ácido lisofosfatídico (LPA), um lipídeo bioativo associado à migração/invasão tumoral – ambos envolvidos na interação microglia-GBM - que, no futuro, poderão ser utilizados como possíveis alvos terapêuticos contra o crescimento tumoral.

Para contato com a equipe, e-mail: flima@icb.ufrj.br

design manuela roitman | programação e implementação corbata