Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Aperfeiçoamento do painel de avaliação da instabilidade genética das leucemias infantis: avanço no prognóstico das LLA-pB em implementação no Instituto de Puericultura Martagão Gesteira/UFRJ.

Coordenadoras: Claudia de Alencar Santos Lage e Elaine Sobral

Colaboradora:
Daiana Vieira Lopes (Prof. Adjunto, UFRJ)

Equipe:
Pós-Doutores:
Marcelo Gerardin Poirot Land
Maria Cecilia Menks Ribeiro

Doutores:
Ana Sheila Cypriano Pinto Campos
Marcia Goncalves Ribeiro

Mestres:
Sandra Alves Peixoto Pellegrini

Graduandos:
Gustavo da Silva Loureiro
Nathalia Dumas de Paula

Leucemias são doenças malignas que se caracterizam por proliferação incontrolada de células brancas sanguíneas. Aparecem em todas as idades, mas, na infância, a leucemia linfoblástica aguda B (LLA) é o tipo mais comum, compreendendo 25% de todos os tumores infantis. São doenças frequentes na população brasileira ocupando o 9º lugar em mortalidade no Brasil (Ministério da Saúde, 2007), mas vem aumentando. A aplicação de um conjunto de testes celulares e moleculares no estudo das leucemias é relevante para melhorar seu prognóstico, evitando a resistência à quimioterapia e possíveis chances de recaída. Assim, podemos indicar os casos mais ou menos graves, permitindo a administração de tratamentos mais específicos para o paciente, contribuindo para sua melhor qualidade de vida ou até o total desaparecimento da doença. No campo da pesquisa clínica, essa é uma importante ferramenta, pois junto ao diagnóstico precoce, conseguimos conhecer melhor o curso da doença, o que nos auxilia na detecção de traços residuais dela após o tratamento e, consequentemente, estima o risco de recaída. Nossa equipe de pesquisadores do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho e médicos do Instituto de Pediatria e Puericultura Martagão Gesteira da UFRJ vem desenvolvendo uma pesquisa básico-clínica no para melhorar o diagnóstico das leucemias infantis. A cada novo caso recebido no Instituto, testes moleculares e celulares rápidos e baratos procuram avaliar o perfil genético do paciente, o que possibilitará, num futuro próximo, um melhor monitoramento do risco de recaída nos pacientes assistidos pelo IPPMG/UFRJ.

Para contato com a equipe, e-mail: lage@biof.ufrj.br 

design manuela roitman | programação e implementação corbata