Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Plaquetas e progressão tumoral são temas de pós-doutorado selecionado para 2015

Plaquetas e progressão tumoral são temas de pós-doutorado selecionado para 2015

Os pesquisadores contemplados com as bolsas de Pós-Doutorado Pró-Onco Vivi Nabuco e Pró-Onco Fundação do Câncer de 2015 já foram selecionados. Ambos candidatos foram escolhidos por comissão Ad hoc que encaminhou os pré-selecionados para a avaliação final do coordenador do programa, professor Marcos Moraes, que concedeu bolsas aos projetos de Vanessa Sandim, do Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis, e de João Marcos Delou, do Instituto de Ciências Biomédicas, ambos da UFRJ.

Nesta edição do Onconews, o destaque será para o projeto de Vanessa Sandim, PhD em Química Biológica pela UFRJ. Sandim se candidatou à bolsa com o projeto “Análise do perfil proteômico de plaquetas ativadas por exossomos provenientes de linhagens celulares de câncer de mama”. Vanessa já é pesquisadora do Programa de Oncobiologia e soube da possibilidade de bolsa a partir do próprio Onconews.

A pesquisadora explica que as plaquetas podem expressar proteínas de acordo com o estímulo que recebem. Elas também possuem papel importante na metástase e na progressão tumoral. São capazes de interagir diretamente com as células tumorais, no caso do estudo, linhagens celulares de câncer de mama. Ela pretende avaliar como diferentes tipos de linhagens tumorais de câncer de mama de mesmo tipo histológico, mas com grau de agressividade diferente, influenciariam a ativação das plaquetas.

De acordo com Sandim, existem evidências de que microvesículas liberadas das células tumorais, como os chamados exossomos, são capazes de interagir com as plaquetas. Este processo pode ocorrer no ambiente tumoral ou na circulação, podendo em alguns casos se relacionar com eventos trombóticos.

Ela explica que as perspectivas do projeto são “encontrar proteínas que possam estar relacionadas com essa interação do exossomo com a plaqueta e ver exatamente que proteínas são essas que possam levar a ativação da plaqueta.” Sandim espera que esse estudo possa no futuro ser usado como um método terapêutico.

Seu doutorado foi feito sob orientação e co-orientação das professoras Russolina Zingali e Gilda Alves Brown, respectivamente, para identificar proteínas presentes na urina que servissem como marcadores do câncer de rim. Com o nome “Análise comparativa do secretoma de urina de pacientes com carcinoma renal de células claras em relação a doadores saudáveis”, Sandim aprofundou a investigação de proteínas relacionadas à progressão tumoral e ao prognóstico de câncer. A pesquisadora começou a desenvolver o projeto durante seu mestrado em 2008 com o tema “Secretoma de urina de pacientes com carcinoma renal de células claras”, sob orientação das pesquisadoras Gilda Alves Brown e Denise de Abreu Pereira, ambas do Laboratório de Genética aplicada, Serviço de Hematologia, do INCA.

Vanessa Sandim, aprovada para uma das bolsas de Pós-Doutorado Pró-Onco Vivi Nabuco e Pró-Onco Fundação do Câncer

design manuela roitman | programação e implementação corbata