Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Projeto de pesquisa sobre câncer de tireoide recebe bolsa do programa Ciência sem Fronteiras

Fernanda Torres Lima

Um projeto de pesquisa submetido pela Pós-Graduação em Endocrinologia, da Faculdade de Medicina da UFRJ, foi um dos escolhidos pelo programa Ciência sem Fronteiras para receber a bolsa Pesquisador Visitante Especial, iniciativa que estimula a vinda ao Brasil de pesquisadores com liderança internacional, com o objetivo de incrementar o avanço da ciência no país.

A proposta de investigação científica, sob coordenação do pesquisador Leandro Miranda Alves, busca ampliar o conhecimento acerca dos efeitos de desreguladores endócrinos sobre a gênese e a progressão do câncer de tireoide. O projeto apresentado é resultado do esforço multidisciplinar conjunto dos grupos de pesquisa em Biologia Celular do Envelhecimento, liderado por Jones Bernardes Graceli, do Departamento de Morfologia da Universidade Federal do Espírito Santo; em Tireoidologia Molecular, da pesquisadora Denise Pires de Carvalho, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, da UFRJ; em Câncer de Tireoide, do professor Mário Vaisman, da Faculdade de Medicina da UFRJ; e em Biologia do Câncer, liderado por Paula Soares, do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto.

O OncoNews conversou com Leandro Miranda Alves, Professor Adjunto do Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ e coordenador do Grupo de Pesquisa em Endocrinologia Experimental. Na entrevista a seguir, ele conta um pouco mais sobre a proposta, bem como sobre a parceria com o pesquisador visitante e as perspectivas abertas pela concessão da bolsa.

 

OncoNews: Qual é o projeto contemplado e quem é o pesquisador visitante?

Leandro Miranda Alves: O projeto “Avaliação dos efeitos de desreguladores endócrinos sobre a gênese e a progressão do câncer de tireoide em peixe zebra com superexpressão do gene BRAF” foi contemplado com a bolsa Pesquisador Visitante Especial (PVE), do programa Ciências sem Fronteiras, em sua mais recente chamada de projetos.

Já a pesquisadora visitante é a professora Ana Paula Soares Dias Ferreira, do Ipatimup, centro de excelência vinculado à Universidade do Porto. Paula Soares coordena o grupo de Biologia do Câncer desse instituto e tem particular interesse científico em tumores de tireoide e neuroendócrinos.

 

OncoNews: Como vocês esperam contribuir para o entendimento da ação dos desreguladores endócrinos na gênese e progressão do câncer de tireoide?

Leandro Miranda Alves: Muitos dos desreguladores endócrinos são substâncias com ação estrogênio-mimética. Sabemos que a maior prevalência de câncer de tireoide é na população feminina, e, recentemente, demonstramos que a tireoide de animais do sexo feminino está submetida a um maior grau de estresse oxidativo, provavelmente devido à ação estrogênica.

Nossa hipótese é que a ação de desreguladores endócrinos, por meio do aumento do estresse oxidativo, pode levar a mutações, e, dessa forma, predispor à carcinogênese. Entender a ação dos desreguladores endócrinos no modelo de peixe zebra com mutação para o gene BRAF condicionada à tireoide é entender as vias reguladas por este gene, bem como os possíveis alvos moleculares para terapias farmacológicas futuras.

 

OncoNews: Vocês já trabalhavam em parceria com a pesquisadora?

Leandro Miranda Alves: A parceria começou com uma visita técnico-científica que realizei, em 2013, ao grupo de Biologia do Câncer da Universidade do Porto. Alguns meses após a visita, a professora Paula veio ao Brasil, para participar do III Congresso Luso-Brasileiro de Patologia Experimental; nessa ocasião, resolvemos organizar um minissimpósio sobre Patologia Endócrina Celular e Molecular, realizado no final do ano passado, na UFRJ. A professora Paula e um doutorando supervisionado por ela participaram desse minissimpósio, bem como alunos de pós-graduação supervisionados por mim e pelas professoras Denise Pires de Carvalho e Andrea Claudia Freitas Ferreira.

Atualmente, ela co-orienta um aluno de doutorado do qual sou orientador. Além disso, está prevista sua participação na reunião anual da Federação de Sociedades de Biologia Experimental (FeSBE), a ser realizada em agosto, no módulo temático “Thyroid dysfunction: causes and repercussions”

 

OncoNews: Algum resultado concreto dessa parceria já foi publicado?

Leandro Miranda Alves: Ainda não temos resultados publicados em revista internacionais. O primeiro artigo da parceria, Exposure to tributyltin promotes thyroid gland morphophysiology damage, será submetido, ainda este mês, à revista Toxicological Sciences, por Paula Rodrigues Pereira, que está sob a minha orientação no programa de mestrado da pós-graduação em Endocrinologia.

 

OncoNews: Haverá outro tipo de intercâmbio entre os dois grupos, ou seja, estudantes do seu grupo de pesquisa terão a possibilidade, ou já tiveram, de conhecer o laboratório da pesquisadora visitante?

Leandro Miranda Alves: Além de termos sido contemplados com a bolsa da PVE, também recebemos uma bolsa de doutorado sanduíche e uma bolsa de pós-doutorado, com o objetivo de promover o intercâmbio de discentes entre os grupos de pesquisa.

 

OncoNews: Qual será a duração do projeto?

Leandro Miranda Alves: A previsão é de 3 anos. A cada ano, a pesquisadora visitante fará uma visita técnico-científica de um mês. Além disso, ela ministrará a disciplina “Patologia molecular de tumores endócrinos” na pós-graduação em Endocrinologia.

Leandro Miranda Alves (segundo, da direita para a esquerda) e o Grupo de Pesquisa em Endocrinologia Experimental

design manuela roitman | programação e implementação corbata