Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Pesquisa investiga papel dos micro-domínios de membrana na migração celular

Priscila Biancovilli

Claudia Mermelstein, pesquisadora recém-credenciada no Programa de Oncobiologia da UFRJ, investiga o processo de adesão e migração de células normais e cancerosas. Ela já trabalha há alguns anos com células normais, e agora começa a dar seus primeiros passos no estudo de células tumorais. Já se sabe que a migração é uma das etapas mais importantes da metástase. O objetivo de seu projeto é entender os mecanismos básicos que governam a migração de células tumorais e desta forma ter a possibilidade de, no futuro, criar métodos capazes de interferir na migração destas células.

“Meu estudo se concentra nas adesões entre as células e a matriz extracelular e nas adesões célula-célula. Nestas últimas, estudo em especial as adesões baseadas numa proteína de membrana chamada caderina. Outra estrutura presente nas adesões celulares são os chamados micro-domínios de membrana. Estas regiões, também chamadas de rafts, concentram uma grande quantidade de colesterol e de esfingolipideos. Além disso, lá existem certas proteínas que não se encontram em outros locais da membrana, ou seja, estas regiões agrupam moléculas que podem fazer uma sinalização mais rápida do que se estivessem dispersas na membrana”, explica Claudia.

A pesquisadora busca entender o papel destes micro-domínios de membrana em células que não migram em relação a células migratórias. “Para isso, eu desorganizo os micro-domínios e vejo como isso altera a migração – usando uma substância chamada metil-beta-ciclodextrina, que tem alta afinidade pelo colesterol. Assim, conseguimos desfazer as rafts, tornando as proteínas que lá estavam mais dispersas na membrana. Isso muda a dinâmica de migração e adesão das células. Meus resultados até o momento mostram que as células se tornam mais migratórias quando as rafts são desorganizadas”, afirma. “Sabemos que cada tipo de célula tumoral apresenta uma dinâmica diferente de migração, e eu espero encontrar resultados distintos de acordo com o tipo de célula cancerosa”, explica Claudia.

Interações no Programa de Oncobiologia

Claudia busca uma interação maior com pesquisadores do Programa de Oncobiologia, que tenham células extraídas de biópsias e que possam colaborar com este estudo. “Trabalho com vários tipos celulares, tais como células musculares esqueléticas, fibroblastos, células endoteliais e células epiteliais. Quero comparar o papel dos micro-domínios de membrana no padrão migratório destas células normais com as tumorais”, diz a professora.

Além disso, Claudia estuda várias proteínas da membrana que promovem a adesão célula-célula, como a caderina e a beta-catenina, e outras que participam da adesão célula-matriz extracelular, como a integrina, vinculina, talina, paxilina, FAK e kindlina. Estas proteínas de membrana podem ser encontradas tanto dentro quanto fora das rafts, e na maioria dos casos ainda não se sabe exatamente o que determina esta dinâmica. Este é também um dos pontos estudados pela pesquisadora.

Caderina, uma das proteínas de membrana que promove a adesão célula-célula

design manuela roitman | programação e implementação corbata