Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Acido oleanólico: uma nova ferramenta contra o câncer de pulmão?

Por Giselle Pinto de Faria - 15/01/2010

 

 O grupo da pesquisadora Cerli Rocha Gattass, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho/UFRJ, mostrou que o ácido oleanólico, um triterpeno presente em várias espécies de plantas, mata células de câncer de pulmão in vitro e inibe o desenvolvimento de metástases pulmonares in vivo. O estudo aponta para o desenvolvimento de um novo fármaco de alto potencial para o tratamento do câncer de pulmão.

 

Dentre as neoplasias, o câncer de pulmão é um dos mais letais. Nas últimas décadas, apesar dos avanços da indústria farmacêutica e do desenvolvimento de novos fármacos contra vários alvos da célula tumoral, a sobrevida dos pacientes com câncer de pulmão não sofreu uma alteração significativa.

 

O ácido oleanólico apresenta baixa toxicidade para humanos. Há algumas décadas, os chineses utilizam este composto no tratamento de doenças inflamatórias, como a gastrite. Ao investigar o potencial tumorigênico do ácido oleanólico, Cerli Gattass e seu grupo mostraram que o composto exibe diversas vantagens sobre os quimioterápicos utilizados no tratamento convencional do câncer de pulmão.

 

Em sua tese de doutorado, a aluna Kelly Araujo Lúcio avaliou a atividade do ácido oleanólico em linhagens celulares humanas derivadas de vários tipos de câncer de pulmão. Os dois principais subtipos ou respondem mal à quimioterapia ou têm uma resposta inicial ao tratamento, mas em seguida recidivam com células mais agressivas e resistentes. Nos dois casos, a resistência ao tratamento favorece a evolução da doença e o desenvolvimento de metástases. Durante sua pesquisa, Kelly ainda observou que esse composto era capaz de matar todas as linhagens testadas, inclusive as que expressavam proteínas envolvidas na resistência à quimioterapia.

 

Os estudos avançaram para um modelo in vivo, no qual a injeção intravenosa de células de melanoma murino induziu metástases pulmonares nos animais controle. Os animais tratados com o ácido oleanólico apresentaram mais de 80% de inibição do aparecimento destas metástases. Portanto, as propriedades desse composto, na destruição de células resistentes e na inibição do desenvolvimento de metástases, o apontam como uma abordagem promissora para o tratamento do câncer de pulmão.

           

Na tentativa de aperfeiçoar os resultados já obtidos, os próximos passos da pesquisa incluem a avaliação do efeito de outros esquemas de tratamento in vivo e a caracterização dos possíveis mecanismos de ação do ácido oleanólico in vitro e in vivo. Este estudo conta com o apoio financeiro da Fundação do Câncer, Finep e Faperj.

 

design manuela roitman | programação e implementação corbata