Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Mérito científico

O Professor Leopoldo De Meis, do Instituto de Bioquímica Médica (IBqM) da UFRJ e pesquisador do programa de Oncobiologia, foi um dos homenageado do Presidente Luís Inácio Lula da Silva, no dia 08 de novembro. No Palácio do Planalto, recebeu o Prêmio Anísio Teixeira de Educação em virtude de suas contribuições nas áreas da pesquisa em Ciências da Vida, na formação de jovens cientistas de baixa renda e pelos trabalhos de divulgação científica.

Nos últimos anos, Leopoldo tem se dedicado com afinco a despertar a vocação científica de jovens de baixa renda através do projeto de cursos de férias implantado no IBqM. Desde que foi criado em 1988, o projeto já possibilitou a realização de cerca de 60 cursos que foram freqüentados, nos meses de janeiro e julho de cada ano, por quase mil professores do ensino fundamental e médio e mais de 2.600 alunos do ensino médio oriundos de 600 escolas. Devido ao sucesso da empreitada que, ao invés de apresentar a ciência embasada em fórmulas e memorizações, instiga a curiosidade através da metodologia científica, o programa recebeu reconhecimento e foi implantado em outras nove universidades brasileiras.

Paralelamente, De Meis criou um grupo de ciência e arte na UFRJ que se dedica à criação de instrumentos educativos (livros, DVDs e espetáculo teatral) atraentes e que contribuem para o aprendizado de temáticas nem sempre fáceis de compreensão como o método científico, a contração muscular, a 3ª Lei da Termodinâmica.

Na banca de laboratório, Leopoldo se esmera nos estudos em diferentes frentes de trabalho. Ele tem mais de 190 trabalhos publicados em revistas científicas internacionais sobre interconversão de energia em sistemas biológicos, entre outras temáticas.

Hoje, Leopoldo De Meis é professor titular da UFRJ, honoris causa das universidades de Louvan, Bélgica, e de Buenos Aires, Argentina; é fundador da Academia de Ciências da América Latina; recebeu ainda as Ordens Nacionais do Mérito Acadêmico e Científico, nas categorias Gran Cruz e Comendador, entre várias outras distinções.

Reconhecimento

A pesquisadora Elenice Correa, do Programa de Oncobiologia, junto com seus alunos, recebeu premiação durante o XXII Congresso Brasileiro de Anatomia, XXVII Congresso Chileno de Anatomia e VII Congresso de Anatomia do Cono Sur. O trabalho intitulado "Hiperzincemia: a busca por um modelo dose-efeito em ratos em desenvolvimento" foi escolhido como um dos destaques do evento, que ocorreu em outubro, em Florianópolis.

A equipe do Laboratório de Neurobiologia trabalha atenta às diversas etapas científicas, englobando da manutenção e cuidado dos animais até a realização das etapas experimentais - estudo que desenvolvem desde 2000.

Elenice explica que com a aplicação das doses, houve comprometimento sistêmico bastante expressivo e o aparecimento de uma manifestação patológica, amiloidose (manifestação clínica onde ocorre um depóito protéico patológico entre as células do tecido em diferentes órgãos do corpo). Além disto, os animais utilizados durante os experimentos apresentaram sintomatologia bastante expressiva (diminuição do tamanho de órgãos, perda de apetite, entre outras).

As perspectivas futuras, de acordo com a pesquisadora, são estabelecer, definir, em todas os pontos possíveis, o que a administração de doses excessivas de zinco causa no tecido, indicar em que doses estes efeitos são gerados, e a sintomatologia apresentada nesses casos. Recentemente, o grupo iniciou a comparação entre as doses administradas por diferentes vias (intramuscular, intraperitonial, intravenosa e oral).

design manuela roitman | programação e implementação corbata