Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

A Pesquisa sobre câncer de cérebro ganha bolsa Vivi Nabuco

A pesquisa sobre o Fator de Crescimento do Tecido Conjuntivo (CTGF), substância secretada por células sadias, mas que pode apresentar relações com o desenvolvimento de tumores, contribuiu para que Fábio de Almeida Mendes, biólogo pela UFRJ e doutorando em Ciência Morfológicas, ganhasse a bolsa de pós-doutorado Pró-Onco Vivi Nabuco. A bolsa tem a duração de um ano, mas o projeto já vem se desenvolvendo há cerca de 10 anos.
Em uma pesquisa anterior, que será publicada pela revista Differenciation , Fábio mostrou que o glioblastoma, um tumor cerebral com alto grau de malignidade, continua a manter diversas semelhanças e funções de sua célula progenitora, o astrócito.

Agora, Fábio quer estudar a interação de diversas proteínas encontradas no meio exterior da célula com o desenvolvimento do câncer, assim como já é sabido que a quantidade de CTGF secretada pela célula pode definir o grau de malignidade do tumor.

Do processo de seleção, Professor Adalberto Vieyra, diretor do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB), comenta que a maior dificuldade encontrada pela banca, ainda composta pelos professores Maria Mitzi Brentani (USP) e Antônio Paes de Carvalho (UFRJ), foi o excelente naipe dos candidatos. Ter apenas uma bolsa, o levou a pensar em propor novos projetos para outras instituições da iniciativa privadas.

Para Vivaldo Moura Neto, chefe do Laboratório de Morfogênese Celular, do Departamento de Anatomia, que co-orientará Fabio de Almeida Mendes, a bolsa Pró-Onco Vivi Nabuco é um estímulo à biologia básica experimental, área nem sempre incentivada pela iniciativa privada.

Por outro lado, José Garcia, chefe do Laboratório de Embriologia de Vertebrados, do Departamento de Anatomia, que participará da orientação do projeto de Fábio reforça o comentário de Moura Neto e acrescenta que a bolsa representa um estímulo ao jovem pesquisador durante uma de suas fases profissionais mais complicadas, pois ele acaba o mestrado, o doutorado e ainda não se vinculou devido a pouca oferta de vagas para professores e pesquisadores nos concursos públicos.

A parceria entre esses dois Laboratórios do Departamento de Anatomia vem de longa data e o trabalho, que será publicado na revista Differenciation , representa o resultado dessa aliança. Para estudar os tumores cerebrais, a pesquisa foi maturada durante um certo tempo até a sua aprovação pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa, do Ministério da Saúde, sob o número 2340, pois utiliza tumores de cérebro que foram obtidos de três pacientes do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho.

design manuela roitman | programação e implementação corbata