Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Cerimônia do Adeus

Em uma cerimônia na qual não faltaram homenagens, discursos emocionados e muitas idéias novas, o Professor Adalberto Vieyra, diretor do Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ, que deixa o cargo depois de uma gestão de oito anos, se despediu dos pesquisadores afiliados ao Programa de Oncobiologia e deixou uma mensagem de otimismo, espelhada no sucesso do Programa.

Numa volta no tempo, Adalberto rememorou a trajetória do Programa. Há seis anos, contava com 43 pesquisadores e hoje é com grande satisfação que a Oncobiologia despertou o interesse de 28 propostas, reunindo cerca de 160 cientistas e entre 600 e 800 alunos de iniciação científica, mestrado e doutorado. Números observados durante o último processo de credenciamento/re-credenciamento que se desenrolou no segundo semestre de 2006. Para Adalberto Vieyra este é um sinal de vitalidade e de reconhecimento que inspiraram inclusive a proposta para a construção do novo Instituto de Ciências Biomédicas, que está em discussão entre os corpos docente e discente do ICB.

Aproveitando a ocasião, o Diretor do ICB ainda lançou um desafio: “Nos próximos dois anos, o Programa deve consolidar sua institucionalização dentro do ICB, pensar a criação de uma Pós-Graduação com mestrado profissional em Oncobiologia e inserir discussões importantes para o campo da oncologia.”

Durante a cerimônia, a Professora Vivian Rumjanek, coordenadora do Núcleo de Ensino, ressaltou algumas das características marcantes do Professor Adalberto como a garra, criatividade e sensibilidade para levar desafios adiante. “Se hoje o Programa de Oncobiologia é referência dentro do ICB, o mérito se deve ao empreendorismo do Adalberto de levar para a reitoria da UFRJ o primeiro termo de referência de um programa interinstitucional. A idéia foi criar um Programa perpassando não apenas institutos desta universidade, mas também outras instituições nacionais”.

Rumjanek ressaltou ainda a importância do resultado do edital da Rede de Pesquisa em Métodos Moleculares em Diagnóstico e Prognóstico de Neoplasias - Rede SUS/Faperj, recém divulgado. Dos 31 projetos aprovados, 19 são de pesquisadores do Programa de Oncobiologia, cinco da Uerj, três da Fiocruz e quatro do Inca.

Para brindar a cerimônia, Vivian homenageou Adalberto com um alfinete de gravata, recebido como herança de seu avô, lembrando que quando o conheceu, em 1976, ainda estudante recém-chegado de uma Argentina conturbada politicamente, ele não usava nem terno e muito menos gravata. Mas com o passar dos anos e a aquisição do estilo elegante, o refino em aliar ciência e política, permeado pelas preocupações com os conflitos humanos, só tem se sofisticado.

Ao final, todos foram brindar a chegada de mais um ano e de muitos projetos com um bate papo informal regado a deliciosos quitutes matinais.

Professores Adalberto Vieyra e Vivian Rumjanek

design manuela roitman | programação e implementação corbata