Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

FAF libera recursos

O coordenador do Programa de Oncobiologia, Dr. Marcos Moraes, em entrevista exclusiva ao Onco News, anunciou a liberação de mais R$ 300 mil para o edital de pesquisa em biologia do câncer. Serão 15 bolsas no valor de R$ 20 mil com liberação prevista em duas etapas. Os recursos são oriundos da Fundação Ary Frauzino de Pesquisa e Controle do Câncer (FAF) numa parceria com o Instituto de Ciências Biomédicas (ICB), UFRJ. Poderão concorrer todos os membros do Programa de Oncobiologia que foram credenciados durante o último processo ocorrido em 2006.

Marcos Moraes explica que na última semana de abril será realizada a reunião do Conselho de Curadores da FAF para discutir o orçamento anual e sua destinação. A partir dessa data, os recursos estarão disponíveis. Os membros filiados ao Programa terão até o final do mês de maio para apresentação de projetos e, em seguida, será convocada uma comissão de especialistas ad-hoc para avaliação das propostas apresentadas.

A capacidade de remover obstáculos, estruturar instituições sucateadas, transitar entre a política e a medicina com maestria, mobilizar equipes e oferecer qualidade de vida através da cirurgia a pacientes com câncer. Estas são algumas das qualidades desse obstinado alagoano, nascido em Palmeira dos Índios, no agreste nordestino, e que hoje tem a obsessão de perenizar o sonho de um programa nascido há seis anos no campus da UFRJ, que ultrapassasse as barreiras dos institutos, departamentos e laboratórios e se unisse pelo interesse comum: a biologia do câncer.

Aliada a boa notícia das bolsas de pesquisa, Marcos Moraes também confirmou a concessão de mais uma bolsa Pró-Onco Vivi Nabuco de Pós-Doutorado para alunos vinculados ao Programa. A validade desta bolsa é de um ano e o valor mensal será de R$3.500,00. Ambos os processos ocorrerão em paralelo. Com uma determinação pela qualidade em infra-estrutura, Marcos Moraes promete ainda mais:

- Há ainda a possibilidade de conseguir uma bolsa de R$ 1 mil (hum mil reais) para um tecnólogo com mestrado concluído que teria como tarefa o acompanhamento do citometro de fluxo, um equipamento utilizado por vários grupos do Programa.

Moraes confidencia que foi um grande prazer observar, durante a posse do novo Diretor do ICB, Roberto Lent, que o modelo implementado pelo Programa de Oncobiologia é apontado como exemplo na Universidade. Neste sentido, ele acredita que a proposta é de longo prazo. Por outro lado, aponta os problemas que ainda atormentam a todos.

- Como em toda a Universidade, a dificuldade de recursos é grande. Esta dificuldade gera um outro grande problema que é a comunicação. A comunicação entre os pesquisadores é fundamental. Nesse sentido, temos o sonho de fazer uma rede wireless para os nossos domínios e ainda melhorar a comunicação convencional com a colocação de antenas para telefones. Este é o ideal para que os membros do Programa de Oncobiologia possam dialogar e trocar experiências. Nessa direção, nós já consultamos um técnico que estará na UFRJ para realizar um levantamento das necessidades em termos de comunicação.

Hoje, Marcos Moraes se proclama um entusiasta do Programa. Em primeiro lugar, pois admira o esforço enorme que os pesquisadores fazem para executar seu trabalho. Além disso, ressalta o processo de credenciamento que demonstrou interesse crescente pelo Programa. Por isso, acredita na missão de re-alocar pesquisadores sérios e competentes que continuam escondidos dentro de suas dificuldades.

O pesquisador é um operário da pesquisa. Isso já demonstra uma dificuldade enorme que permeia o dia-a-dia. Acredito que com a melhoria estrutural dos laboratórios, com mais conforto, poderemos transformar ainda mais este programa, sentencia.

Em breve, será disponibilizado o edital completo para as bolsas de pesquisa e Pro-Onco Vivi Nabuco. Aguarde!!!

design manuela roitman | programação e implementação corbata