Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Veja o que saiu na mídia sobre câncer - 16/07/2013

Estudo liga alimentos ricos em gordura e açúcar a risco de câncer de intestino

Terra – 15/07/2013

Um estudo escocês sugere que refrigerantes, bolos, biscoitos doces e sobremesas podem aumentar os riscos de câncer de intestino. Os cientistas, das universidades de Aberdeen e Edimburgo, analisaram fatores como dieta, prática de exercícios físicos e consumo de cigarros entre 2 mil pacientes de câncer de intestino na Escócia.

Eles identificaram fatores de risco já conhecidos pela literatura médica, como histórico familiar, fumo e sedentarismo. Além disso, apontaram outros, como o consumo de alimentos ricos em açúcar e gordura. Na pesquisa, eles analisaram as dietas dos pacientes de câncer, boa parte delas com alto consumo de produtos calóricos, e as compararam com os hábitos alimentares de um outro grupo do mesmo tamanho que seguia uma dieta considerada saudável.

Foram analisados mais de 170 tipos de comida, incluindo frutas, legumes, verduras, peixes, carnes, além de produtos calóricos, como chocolates, nozes e sucos de frutas. Os pesquisadores concluíram que o grupo que seguia uma dieta saudável, rica em frutas e legumes, tinha menos riscos de desenvolver câncer de intestino do que o outro grupo, seguidor do que foi denominado de "dieta ocidental": rica em carnes, gordura e açúcar.

Causa e consequência

Evropi Theodoratou, da Universidade de Edimburgo, disse que os resultados são muito interessantes e que merecem mais investigações utilizando uma amostragem maior da população.

"Ao mesmo tempo em que identificamos associações entre dieta e câncer, ainda seria prematuro tratar o assunto como causa e consequência. É importante levar esses fatores em consideração, principalmente porque as pessoas nos países industrializados consomem cada vez mais este tipo de comida."

Estima-se que o estudo, publicado na revista científica European Journal of Cancer Prevention, seja a primeira investigação a estabelecer uma ligação entre câncer de intestino e uma dieta rica em gordura e açúcar.

http://noticias.terra.com.br/ciencia/pesquisa/estudo-liga-alimentos-ricos-em-gordura-e-acucar-a-risco-de-cancer-de-intestino,7249f52412fdf310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html

Cápsulas de ômega-3 aumentam risco de câncer de próstata

BBC – 11/07/2013

Pesquisadores de diversas universidades e centros de pequisas ─ entre os quais a Ohio State University College of Medicine e o Fred Hutchinson Cancer Research Center ─ assinam o estudo, divulgado na publicação científica Journal of the National Cancer Institute, ligado à Universidade de Oxford, na Inglaterra.

Os resultados confirmam uma pesquisa de 2011 publicada pela mesma equipe de cientistas, que constatou uma ligação semelhante entre altas concentrações sanguíneas de ômega-3 e o câncer de próstata mais agressivo.

"A consistência destes resultados sugere que estes ácidos graxos estão envolvidos na gênese do tumor e recomendações para aumentar a ingestão de ômega-3, principalmente através de suplementos, devem considerar seus riscos potenciais", escreveram os autores.

De acordo com o estudo, o risco de homens que tomam suplementos de ômega-3 desenvolverem o tipo mais agressivo de câncer é até 71% maior do que entre os que não usam a substância.

No caso do tipo menos letal, o risco é até 44% mais alto entre os que consomem suplementos, em comparação a pessoas que não usam as cápsulas.

Em geral, ácidos gordurosos estão associados a um risco até 44% maior de câncer de próstata, dizem os pesquisadores.

Os pesquisadores não especificam se o mesmo risco estaria associado ao consumo de peixes como o salmão, ricos na substância, mas enfatizam que os níveis de concentração de ômega-3 superior a duas porções semanais do peixe estaria relacionado à doença.

Nos últimos anos, muitos estudos vêm sendo feito para examinar o impacto de ácidos graxos na saúde. Cientistas alertam que a maior parte das pesquisas não é conclusiva e que, antes de mudar a dieta, as pessoas devem consultar seus médicos.

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/07/130711_cancer_prostata_omega3_rp.shtml

Antibiótico veterinário pode ajudar a combater o câncer infantil, diz estudo

Terra – 15/07/2013

Um dos efeitos de um antibiótico usado em veterinária abre as portas na busca de um tratamento para o sarcoma de Ewing, um tipo de câncer que afeta crianças e adolescentes, segundo um estudo publicado na revista "International Journal of Oncology".

O antibiótico é o thiostrepton que, de acordo com as conclusões do estudo, inibe dois genes causadores da doença em ratos. Os pesquisadores não acreditam que a substância possa ser utilizada diretamente para esse fim em humanos, mas afirmam que a descoberta abre portas para buscar novos medicamentos que tenham o mesmo efeito.

O sarcoma de Ewing é o segundo tipo de câncer de ossos mais comum e afeta crianças e jovens. Atualmente, se for diagnosticada a tempo e não apresentar metástase, a doença pode ser curada em 80% dos casos, mas entre 25% e 30% das ocasiões é diagnosticada quando já há metástase e a sobrevivência diminui até 30%.

Os pesquisadores demonstraram que o antibiótico inibe os dois genes envolvidos no sarcoma de Ewing.

Participou do estudo o Institut d'Investigació Biomedica de Bellvitge (Instituto de Pesquisa Biomédica de Bellvitge) de Barcelona.

http://saude.terra.com.br/antibiotico-veterinario-pode-ajudar-a-combater-o-cancer-infantil-diz-estudo,eef9f52412fdf310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html

Cientistas criam teste que detecta câncer de bexiga em 'odor' de urina

BBC - 10/07/2013

O dispositivo usa um sensor que detecta elementos químicos gasosos presentes na urina quando ela contem células cancerosas.

Segundo declarações dos inventores à publicação especializada PLoS One, os primeiros testes mostram que o dispositivo dá resultados precisos nove vezes a cada dez pacientes testados.

Médicos já procuravam novas formas de detectar o câncer de bexiga logo no início, quando seu tratamento é mais fácil.

Muitos resolveram investir seus esforços em detectar o problema no odor da urina, já que outras pesquisas sugerem que cães podem ser treinados para reconhecer o "cheiro" de determinados cânceres.

Aquecida

Para testar o dispositivo, os cientistas Chris Probert, da Liverpool University, e o professor Norman Ratcliffe, da University of the West of England, usaram 98 amostras de urina.

Destas, 24 eram de pacientes homens com câncer de bexiga e 74 eram de homens com problemas na bexiga mas sem câncer.

"(O dispositivo) Lê os gases que elementos químicos podem exalar quando a amostra é aquecida", afirmou Ratcliffe.

Apesar dos resultados animadores, Probert disse que o dispositivo ainda não poderá ser usado em hospitais.

Sarah Hazell, assessora de comunicação da instituição de caridade britânica voltada para pesquisa do câncer Cancer Research UK, afirma também que o dispositivo ainda não corresponde a um exame mais completo.

"Este último método ainda está em um estágio inicial de desenvolvimento e precisa ser testado em um número muito maior de amostras, incluindo amostras de mulheres e homens."

"Os pesquisadores afirmam que o teste teria 96% de exatidão e as descobertas são baseadas em um número relativamente pequeno de amostras, vindas apenas de homens. Mas este é outro passo promissor para detectar câncer de bexiga a partir de amostras de urina, algo que vai garantir uma forma menos invasiva de diagnosticar a doença", acrescentou.

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/07/130709_urina_cheiro_cancer_fn.shtml

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

design manuela roitman | programação e implementação corbata