Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Veja o que saiu na mídia sobre câncer - 17/10/2011

Uma revolução contra o câncer cervical

Vinagre no colo do útero de uma mulher faz com que manchas pré-cancerosas fiquem brancas

Veja – 16/10/2011

Maikaew Panomyai fez uma dancinha ao sair da sala de exame, remexendo os quadris, balançando os punhos no ar e cantando, em seu limitado inglês: “Everything’s OK! Everything’s OK!”.

Tradução: a enfermeira acabou de me dizer que não tenho câncer cervical e que até a manchinha branca que eu havia tratado há três anos desapareceu. O que permitiu que a enfermeira fizesse esse diagnóstico tranquilizador foi um procedimento extremamente simples, rápido e barato, com o potencial de fazer pelos países pobres o que o exame Papanicolau fez para os ricos: acabar com o reinado do câncer cervical como assassino nº 1 das mulheres. O ingrediente mágico? Vinagre artesanal.

A cada ano, mais de 250 mil mulheres morrem de câncer cervical, quase 85 por cento delas nos países de baixa e média renda. Décadas atrás, ele matou mais mulheres nos Estados Unidos do que qualquer outro câncer e agora ele está bem muito atrás dos cânceres de pulmão, cólon, mama e pele.

As enfermeiras que usam o novo procedimento, desenvolvido por especialistas da faculdade de medicina Johns Hopkins na década de 1990 e aprovado no ano passado pela Organização Mundial de Saúde, passam vinagre no colo do útero de uma mulher. Isso faz com que manchas pré-cancerosas fiquem brancas.

Depois, elas podem ser congeladas imediatamente com uma sonda de metal resfriada por um tanque de dióxido de carbono, disponível em qualquer engarrafadora de Coca-Cola. O procedimento faz parte de uma ampla variedade de avanços médicos baratos, porém eficazes, que estão sendo testados nos países em desenvolvimento.

Novas técnicas baratas de diagnóstico e cirurgias, inseticidas, regimes de medicamentos e próteses já estão começando a salvar vidas. Com o exame papanicolau, o médico faz uma raspagem do colo do útero e envia o material coletado a um laboratório para ser examinado por um patologista.

Sem laboratório - Muitos países pobres não têm laboratórios de alta qualidade e os resultados podem demorar semanas para chegar. As mulheres que retornam para áreas distantes, onde moram ou trabalham, muitas vezes são difíceis de encontrar quando são diagnosticadas com lesões pré-cancerosas.

Maikaew, 37 anos, poderia ter sido uma deles. Ela é caixa de um restaurante na longínqua Ko Chang, uma ilha paradisíaca. Ela estava em casa em Poyai, uma aldeia agrícola de arroz, para uma breve visita e foi examinada por insistência de sua mãe.

A mesma coisa havia acontecido há três anos, e ela estava com uma mancha branca. (Parecem verrugas e são causadas pelo papilomavírus humano.) A mancha foi congelada com crioterapia, o que doeu um pouco, mas era suportável, disse ela.

Como Maikaew foi examinada duas vezes aos 30 anos, seu risco de desenvolver câncer no colo do útero caiu 65 por cento, de acordo com estudos realizados pela Aliança de Prevenção do Câncer Cervical, uma coalizão de organizações internacionais de saúde financiada pela Fundação Bill & Melinda Gates.

O procedimento, conhecido como VIA/crio para visualização do colo com ácido acético (vinagre) e o tratamento com crioterapia, pode ser feito por uma enfermeira e apenas uma consulta é necessária para detectar e matar um câncer incipiente.

A Tailândia tem ido mais longe do que qualquer outro país na adoção da técnica. Mais de 20 países, incluindo Gana e Zimbábue, fizeram projetos-piloto. Mas, na Tailândia, o VIA/crio agora é rotina em 29 das 75 províncias, e 500 mil das 8 milhões de mulheres, com idades entre 30 e 44 anos, na população-alvo foram examinadas pelo menos uma vez.

O Dr. Bandit Chumworathayi, ginecologista da Universidade de Khon Kaen, que ajudou a realizar o primeiro estudo tailandês do VIA/crio, explica que o vinagre realça os tumores porque eles têm mais DNA e, portanto, mais proteína e menos água do que outros tecidos.

Ele revela pré-tumores com mais precisão do que um exame papanicolau comum. Mas também gera mais falsos positivos – manchas que ficam claras, mas não são malignas. Consequentemente, algumas mulheres passam por crioterapia desnecessariamente.

Mas o congelamento é cerca de 90 por cento eficaz e o principal efeito colateral é uma sensação de queimação, que desaparece em um ou dois dias.
A reportagem completa pode ser consultada em http://veja.abril.com.br/noticia/saude/uma-revolucao-contra-o-cancer-cervical

Ingrediente do vinho interrompe crescimento de células do câncer de mama

Diário da Saúde – 17/10/2011

Amigo do peito

Uma nova pesquisa revelou que o resveratrol, considerado o ingrediente saudável do vinho tinto, bloqueia o crescimento de células do câncer de mama.

Segundo cientistas da Universidade da Calábria (Itália), o resveratrol bloqueia os efeitos do hormônio estrogênio, reduzindo os receptores específicos das células do câncer de mama.

Apesar dos seguidos estudos que concluem pelos benefícios do composto presente no vinho tinto e nos sucos de uvas escuras, esta é a primeira vez que se demonstra sua ação especificamente contra o câncer de mama.

Resveratrol

"O resveratrol é uma ferramenta farmacológica que pode ser usada quando o câncer de mama se torna resistente à terapia hormonal," afirma o Dr. Sebastiano Andò, membro da equipe.

Ele e seus colegas usaram linhagens de células do câncer de mama, que expressavam o receptor do estrogênio, para testar os efeitos do resveratrol.

Os pesquisadores trataram um grupo de células com o composto e compararam seu crescimento com as células não-tratadas.

O estudo mostrou uma redução no crescimento das células tratadas com resveratrol, e nenhuma modificação, isto é, crescimento normal, nas células não-tratadas.

Produtos naturais

Experimentos adicionais revelaram que o efeito deu-se devido a uma drástica redução nos níveis dos receptores de estrogênio das células, o que foi causado pelo resveratrol.

"Estas descobertas são entusiasmantes, mas de jeito nenhum significam que as pessoas devem sair e começar a beber vinho tinto ou suplementos como tratamento para o câncer de mama," alerta o pesquisador.

"O que estas descobertas significam é que os cientistas ainda não terminaram o trabalho de destilar os segredos da boa saúde que estão escondidos em produtos naturais, como o vinho tinto," concluiu Andò.

http://www.diariodasaude.com.br/news.php?article=vinho-tinto-interrompe-cancer-mama&id=7023

Excesso de vitamina E aumenta incidência de câncer de próstata

Jornal do Brasil – 14/10/2011

Estudo publicado este mês pelo Journal of the American Medical Association revela que a ingestão de vitamina E pode aumentar os riscos de câncer de próstata. A pesquisa foi realizada com cerca de 35 mil homens saudáveis de parte dos Estados Unidos, Canadá e Porto Rico, com idade acima dos 50 anos.

Para Daher Chade, urologista do Instituto do Câncer de São Paulo e também do Hospital Sírio Libanês, "este estudo mostrou que a ingestão frequente da vitamina E de forma suplementar à dieta representa um maior risco de desenvolvimento do câncer através de um mecanismo de ação ainda não totalmente compreendido do ponto de vista molecular.

Mas como clinicamente este achado foi significante e comprovado com uma pesquisa de grande poder estatístico, isso representará uma mudança na conduta médica na prevenção do câncer de próstata. Antes deste estudo, a vitamina E era considerada potencialmente benéfica, porem não havia estudos clínicos suficientes para apoiar esta afirmação com um alto nível de evidência. Era apenas uma suposição devido a estudos de baixo nivel científico.

Estudos preliminares tinham constatado que essa substância poderia ser uma promessa de prevenção contra esse tumor, mas o efeito foi contrário. Nessa nova pesquisa, houve um aumento em 17% de portadores de câncer de próstatas naqueles que consumiam diariamente o suplemento vitamínico .

Mas Daher explica que por ser uma substância importante, ela também não deve ser banida do cardápio: “A vitamina E age na redução dos radicais livres, os quais estão associados a doenças cardiovasculares, processos de cicatrização e mecanismos associados a produção hormonal. O ideal é consumi-la com moderação e através dos alimentos que possuem essa vitamina como nozes, amendoim e germe de trigo, e não através dos suplementos e formulações medicamentosas”, explica o especialista.

http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2011/10/14/excesso-de-vitamina-e-aumenta-incidencia-de-cancer-de-prostata/

Estudo: 40% de todos os cânceres podem ser causados por vírus

Jornal do Brasil – 17/10/2011

Novas pesquisas indicam que até 40% de todos os tipos de câncer podem ser causados por vírus, inclusive tumores cerebrais e leucemia. Se os estudos estão corretos, se abrem mais possibilidades na busca por vacinas contra o câncer associado a vírus. As informações são do jornal britânico Daily Mail.

Já se sabe há décadas que alguns tipos de câncer estão relacionados a vírus, mas acreditava-se que eram apenas entre 10 e 20% dos casos. As evidências mais bem documentadas se referem a hepatite B - que pode causar câncer de fígado - e o HPV, que pode causar câncer cervical.

Na semana passada, cientistas do instituto Karolinska, na Suécia, descobriram que o tipo mais comum de tumor cerebral em crianças é causado por um vírus. O estudo segue uma descoberta de dois anos atrás sobre o carcinoma, que pode ser causado pelo poliomavírus. Alguns grupos de pesquisadores também acreditam que o câncer de próstata pode estar relacionado a vírus.

O professor Alan Rickinson, da universidade de Birmingham, na Inglaterra, disse que se for possível desenvolver vacinas ou terapias contra estes vírus, se previne, consequentemente, o câncer, Entretanto, ele alerta que estas pesquisas ainda podem levar anos para alcançar resultados.

http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2011/10/17/estudo-40-de-todos-os-canceres-podem-ser-causados-por-virus/

design manuela roitman | programação e implementação corbata