Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Veja o que saiu na mídia sobre câncer - 16/02/2010

No Brasil, câncer ocular é o dobro do registrado nos EUA

Por Fernanda Bassette, da Folha Online – 03/02/2010

A incidência de retinoblastoma (câncer nos olhos que atinge especialmente crianças com menos de quatro anos) no Brasil é o dobro dos EUA e da Europa, aponta a primeira publicação brasileira que avalia a incidência dos cânceres infantis no país.
Enquanto algumas cidades brasileiras registram entre 21,5 e 27 casos desse câncer por milhão, nos EUA esse valor varia entre 10 e 12 casos por milhão. O estudo, realizado pelo Inca (Instituto Nacional de Câncer), será publicado na próxima edição da revista científica "International Journal of Cancer".

Segundo a oncologista pediátrica Beatriz de Camargo, uma das autoras da publicação, o próximo passo é tentar descobrir os motivos que expliquem essa distorção, como fatores ambientais, alimentares ou genéticos.

Para o oncologista pediátrico Neviçolino Pereira de Carvalho Filho, do Hospital A.C.Camargo, os resultados devem estimular os cientistas a tentar descobrir as razões de a incidência desse tumor ser muito maior nos países em desenvolvimento.

"Uma das hipóteses é de que ele teria alguma relação com a infecção por HPV, mas há estudos controversos."

Leia mais em:

http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u688142.shtml

 

Estudo sugere ligação entre consumo de refrigerante e câncer

Abril.com – 11/02/2010

Estudo recente divulgado na edição de fevereiro do “Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention”, relacionou o consumo de dois ou mais refrigerantes por semana com o aumento do risco do câncer de pâncreas. “Pessoas que ingeriram dois ou mais refrigerantes nesse período tiveram um aumento de 87% no risco de desenvolver esse tipo de câncer, se comparado com indivíduos que não consumiram a bebida”, afirmou o autor da pesquisa Noel T. Mueller.

Os pesquisadores estudaram a dieta, incluindo o consumo de refrigerante e sucos, assim como a incidência de câncer em um grupo de 60 mil participantes em Singapura, durante 14 anos. Eles acreditam que o açúcar presente nesse produto aumenta a secreção de insulina no pâncreas e com isso promova o crescimento de células cancerígenas.

Leia mais em:

http://www.abril.com.br/blog/dieta-nunca-mais/2010/02/estudo-sugere-ligacao-entre-consumo-de-refrigerante-e-cancer/

 

Cientistas descobrem arma secreta de células cancerígenas contra quimio

De Agencia EFE – 14/02/2010

Uma equipe de cientistas britânicos identificou a "arma secreta" que utilizam as células cancerígenas para combater e sobreviver aos tratamentos com quimioterapia.

A descoberta feita por especialistas da Cancer Research UK, uma ONG dedicada à pesquisa de câncer, relaciona-se com a estrutura de uma proteína que se encontra no coração do sistema de defesa dos tumores cancerígenos.

Identificada como FANCL, essa proteína ajuda as células malignas a reparar o dano que sofre seu DNA a consequência do tratamento do doente com quimioterapia.

"Investigamos a estrutura do motor do sistema de funcionamento da célula", disse a principal responsável do estudo, Helen Walden. Segundo ela, "se conseguimos detê-lo, conseguiríamos células muito mais receptivas à quimioterapia".

"Conseguimos a primeira fotografia atômica completa de uma proteína envolvida no caminho da reparação de uma célula, justo ao próprio coração da rota pela qual as células cancerígenas se defendem de tratamentos que têm como objetivo destruí-las", assinalou a especialista.

Walden acrescentou que, com a descoberta, "é possível melhorar os tratamentos tradicionais". Ela ressaltou que a descoberta pode se transformar em uma linha de pesquisa para a criação de um medicamento específico.

A conclusão principal deste estudo, que se publica na revista "Nature Structural and Molecular Biology" é que um preciso tratamento contra a FANCL pode ajudar a combater o câncer.

Leia mais em:

http://www.google.com/hostednews/epa/article/ALeqM5hxPWWUux67iXKpYJipgqVAT6iUiQ

 

Microcápsulas ajudam cientistas a recuperar ossos usando células-tronco

Objetos levam substâncias que fazem células se transformarem. Experimento foi feito em rato por pesquisadores franceses.

Do G1, em São Paulo - 16/02/2010

Cientistas franceses contaram com a ajuda da nanotecnologia para conseguir implantar células-tronco em ossos de um rato. Usando cápsulas mil vezes menores que um milímetro eles conseguiram dosar com precisão os ingredientes para transformar células indiferenciadas em tecido ósseo. A experiência abre novos caminhos o tratamento de doenças como o câncer nos ossos e a osteoporose.

As cápsulas utilizadas pelos cientistas têm o formato de um dedal, e levam duas camadas de substâncias diferentes que induzem células-tronco a se especializarem, tornando-se células ósseas. Os pesquisadores misturaram essas partículas a células-tronco embrionárias e um gel, e injetaram entre a pele e o osso lesionado de um rato.

De acordo com os cientistas – a maioria deles ligada ao Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica (INSERM) – a experiência só obteve êxito porque as microcápsulas foram degradadas aos poucos, liberando no momento certo as substâncias necessárias para cada etapa da formação das células ósseas. O mesmo teste teria sido feito sem as cápsulas, e não deu certo.

Ao final do experimento feito com as micropartículas, descrito em artigo científico na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), a região onde as células foram injetadas havia formado tecido ósseo, e vasos sanguíneos já estavam se moldado e se infiltrando no implante.

Segundo os pesquisadores, as substâncias químicas usadas nas cápsulas eram muito simples, o que torna o procedimento fácil de ser controlado e reproduzido. 

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1487141-5603,00-MICROCAPSULAS+AJUDAM+CIENTISTAS+A+RECUPERAR+OSSOS+USANDO+CELULASTRONCO.html

design manuela roitman | programação e implementação corbata