Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Veja o que saiu na mídia sobre câncer - 01/01/2010

Regiões do país têm diferentes tipos de câncer, de acordo com dados do Inca

G1 - 14/12/09

Pesquisa mostra que hábitos podem levar a diferentes tipos de câncer.
Médicos aconselham como o brasileiro pode prevenir a doença.

Do G1, com informações do Jornal Nacional

O Instituto Nacional do Câcer (Inca) divulgou um estudo sobre o registro  dos casos da doenças em todo o Brasil. As formas de câncer encontradas mais comumente em cada região do país. 

Esses números foram analisados pelos médicos e transformados em conselhos que podem ajudar os brasileiros a reduzir os riscos de desenvolver tumores malignos.

O exame mostrou o que Marluce Bezerra não queria ver: um câncer de mama. Durante dois anos, ela ignorou o nódulo que apareceu em um dos seios. "Eu tenho cinco irmãs, ninguém tem esse problema. Minha mãe também não tem esse problema. Então eu não imaginava que eu iria ter esse problema", diz ela.

Um engano, a genética não é a única causa da doença. Pelo contrário, 90% dos casos de câncer estão relacionados a outros fatores de risco e a maioria deles tem a ver com nossos hábitos.

Leia mais em:

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1415066-5603,00-REGIOES+DO+PAIS+TEM+DIFERENTES+TIPOS+DE+CANCER+DE+ACORDO+COM+DADOS+DO+INCA.html

 

Nanotecnologia - Aparelho pode detectar câncer em 20 minutos

Editora Abril - 14/12/2009

Um time de pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, trabalha no desenvolvimento de um dispositivo portátil capaz de identificar doenças por meio de uma pequena amostra de sangue em apenas 20 minutos. O aparelho é similar ao "tricorder" do doutor McCoy, da série de ficção científica Jornada nas Estrelas.

A expectativa é de que o dispositivo revolucione a técnica de diagnóstico de doenças como o câncer, organizando informações genéticas e identificando substâncias relacionadas a determinados problemas de saúde.

O sensor, feito por meio da nanotecnologia, "é capaz de encontrar um grão de sal em uma piscina", explicaram os pesquisadores. O aparelho, que mede o equivalente a um bloco de anotações, deve se transformar em item obrigatório em consultórios de todo o mundo e ajudar especialistas a diagnosticar o quanto antes doenças graves, contou Tarek Fahmy, engenheiro biomédico da Universidade de Yale.

Atualmente, os testes efetuados em pacientes com câncer e doenças de coração são subjetivos, caros e trabalhosos. O processo inteiro, da coleta do sangue ao diagnóstico, demora muitos dias. ´Já o novo equipamento consegue ter um resultado preciso em apenas 20 minutos.

"O novo dispositivo pode ser utilizado para o reconhecimento de uma série de problemas de saúde, o que inclui câncer de ovário e doenças cardiovasculares", explicou o médico Mark Reed.
A grande vantagem do aparelho é um filtro desenvolvido para remover substâncias químicas capazes de distorcer o resultado dos diagnósticos. Atualmente, esse é um problema ainda sem solução.

Leia mais em:

http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia-tecnologia/aparelho-pode-detectar-cancer-20-minutos-519770.shtml

 

Mapas genéticos vão transformar a luta contra o câncer

Reuters/Brasil Online, porComente

Comentários

 Kate Kelland - 16/12/2009

Cientistas identificaram todas as mudanças nas células de dois tipos fatais de câncer para produzir os primeiros mapas genéticos inteiros de um tumor. Segundo eles, isso marca um "momento transformador" na compreensão da doença.

Os estudos feitos por uma equipe internacional e pelo Instituto Wellcome Trust Sanger, da Grã-Bretanha, representam as primeiras descrições abrangentes de mutações celulares tumorais, e podem revelar todas as mudanças genéticas por trás do melanoma de pele e do câncer de pulmão.

"O que estamos vendo hoje vai transformar a forma como vemos o câncer", disse a jornalistas em Londres Mike Stratton, do projeto do genoma do câncer do Instituto Sanger. "Nunca vimos o câncer ser revelado dessa forma".

Os cientistas sequenciaram todo o DNA do tecido canceroso e do tecido normal em um paciente com melanoma e de um paciente com câncer de pulmão, usando uma tecnologia chamada sequenciamento paralelo em massa. Comparando as sequências tumorais com as saudáveis, conseguiram localizar todas as mudanças específicas do câncer.

O tumor de pulmão continha mais de 23 mil mutações, e o do melanoma tinha mais de 33 mil.

Peter Campbell, também do Instituto Sanger, disse que o estudo sobre o câncer de pulmão sugere que o fumante desenvolve uma mutação a cada 15 cigarros que consome, e que o dano começa na primeira tragada. O câncer de pulmão mata cerca de 1 milhão de pessoas por ano no mundo, e 90 por cento dos casos são provocados pelo tabagismo.

"Esses catálogos de mutações estão nos dizendo como o câncer se desenvolve - então vão nos informar sobre a prevenção ... e sobre processos que são perturbados na célula cancerosa", disse Stratton.

Mas os cientistas disseram que identificar todas as mutações que causam o câncer exigirá muito mais trabalho, possivelmente ao longo de vários anos, até que surjam novos alvos para o desenvolvimento de medicamentos inéditos.

Leia mais em:

http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2009/12/16/mapas-geneticos-vao-transformar-luta-contra-cancer-915241429.asp

 

Um em cada 10 internados no Instituto do Câncer tem até 30 anos

G1, por Emilio Sant'Anna - 16/12/09

Hoje, um em cada dez pacientes do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) Octavio Frias de Oliveira tem até 30 anos de idade. O dado é apontado pelo primeiro perfil dos pacientes do hospital divulgado nesta quarta-feira (16/12).

"Apesar de ser uma doença da população mais idosa, o câncer atinge todas as idades", explica o diretor do Instituto do Câncer, Giovanni Guido Cerri.

O estudo também mostra que dos 14,6 mil pacientes atendidos no hospital desde sua inauguração, em maio de 2008, 23% (ou aproximadamente um em cada quatro) possui histórico de tabagismo ou alcoolismo.

Leia mais em:

http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL1417491-5603,00-UM+EM+CADA+INTERNADOS+NO+INSTITUTO+DO+CANCER+TEM+ATE+ANOS.html

 

Pela primeira vez, um glioma pode ser eliminado por uma equipe chinesa de pesquisa médica

PRNewswire-Ásia - 17/12/2009

Utilizando uma nova tecnologia da Cellonis Biotechnologies baseada em célula-tronco, uma equipe chinesa de pesquisa médica pode eliminar um glioma -- câncer cerebral -- de um paciente norueguês de 36 anos de idade em um hospital de Pequim. O tratamento demonstra que o sistema imunológico ativado pode diretamente inibir as células-tronco com tumores bem como as células filhas cancerosas. O resultado desse novo tratamento dentro de uma Terapia Extensiva de Câncer indica que as futuras terapias de vacinação podem ser usadas a fim de melhorar a resposta da Célula Dendrítica com antígeno presente.

Leia mais em:

http://br.noticias.yahoo.com/s/17122009/24/economia-negocios-pela-glioma-cancer-cerebral.html

 

Pesquisadores brasileiros estudam medicamento à base de ervas contra a doença

O Dia Online - 20/12/2009

O Brasil poderá ter o primeiro medicamento oncológico nacional. A avelós, uma planta usada em chás medicinais e nas populares “garrafadas”, produto que contém diversas ervas, está sendo testada no tratamento do câncer.

Estudos realizados no Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, em São Paulo, mostram que ela conseguiu estabilizar o quadro clínico de uma doente terminal e que também reduziu as dores.

A planta, encontrada no Norte e no Nordeste do país, produz uma seiva semelhante ao látex, que é muita tóxica e cáustica. O primeiro passo foi então isolar apenas as substâncias benéficas da planta e transformá-las em uma pílula, chamada de AM10.

Leia mais em:

http://odia.terra.com.br/portal/cienciaesaude/html/2009/12/planta_testada_no_combate_ao_cancer_55152.html

 

Cientistas desvendam ação de droga tirada de cogumelo contra o câncer

BBC Brasil – 29/12/2009

Cientistas britânicos desvendaram como atua uma promissora droga contra o câncer, descoberta inicialmente em um cogumelo selvagem.

A equipe da Universidade de Nottingham acredita que seu trabalho possa ajudar a tornar a droga mais eficiente e útil para o tratamento de uma ampla gama de cânceres.

A cordicepina, comumente usada na medicina chinesa, foi originalmente encontrada em um raro tipo de cogumelo parasita que cresce em lagartas.

O cogumelo Cordyceps, também conhecido como cogumelo da lagarta, tem sido estudado por pesquisadores desde os anos 1950.

Porém apesar do potencial mostrado pela droga, ela era rapidamente degradada no organismo.

Mais informações em:

http://www.estadao.com.br/noticias/geral,cientistas-desvendam-acao-de-droga-tirada-de-cogumelo-contra-o-cancer,488134,0.htm

 

 

 

 

design manuela roitman | programação e implementação corbata