Portal do Programa de Oncobiologia

Programa interinstitucional de ensino, pesquisa e extensão em biologia do câncer

Veja o que saiu na mídia sobre câncer

Nova terapia contra o câncer de mama

AFP - 31/05/2009

 

Uma nova terapia que tem como alvo a capacidade das células cancerosas de se reparar está sendo considerada promissora para tratar o câncer de mama, principalmente os tipos mais difíceis, segundo resultados de dois testes clínicos publicados neste domingo.

O tratamento mais avançado neutraliza uma enzima e a impede de desempenhar seu papel reparador do DNA das células no corpo.

Assim como as células sadias, as células cancerosas recorrem a esta enzima chamada PARP Poli(ADP-Ribose) Polimerase para se regenerar quando sofrem danos infligidos principalmente por tratamentos de quimioterapia.
Os dois estudos examinam se neutralizando a enzima PARP, os tumores de mama seriam mais sensíveis à quimioterapia.

Um teste clínico de fase 2 foi realizado em 116 mulheres com câncer de mama dito 'metastásico tríplice negativo' - tumores particularmente difíceis de combater. Elas representam 15% do total ou 170.000 casos no mundo anualmente.

Leia mais em:

http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/05/31/nova+terapia+contra+o+cancer+de+mama+6455923.html

 

Teste poderá detectar câncer de próstata em 3 minutos

Terra, por Patricia Zwipp – 31/05/2009

 

Os homens podem contar no futuro com um novo método para diagnosticar o câncer de próstata. Pesquisadores ingleses, em parceria com norte-americanos, desenvolveram uma técnica que promete analisar o fluído da glândula masculina e dar o resultado em apenas três minutos. Seria a possibilidade de eliminar um dos exames mais malvistos pelos pacientes, o do toque retal? Se já abriu um sorriso de felicidade, trate de tirá-lo do rosto. Por enquanto, essa possibilidade não foi ao menos mencionada.

Leia mais em:

http://saude.terra.com.br/interna/0,,OI3787346-EI1497,00-Teste+podera+detectar+cancer+de+prostata+em+minutos.html

 

Remédio contra diabetes aumenta imunidade, afirma pesquisa

EFE - 03/06/2009

 

Um remédio de uso comum para o controle da diabetes pode estimular o sistema imunológico e potenciar os efeitos das vacinas e tratamentos contra o câncer, publicou hoje a revista "Nature".

Uma equipe de pesquisadores das universidades de McGill e Pensilvânia descobriu que a metformina, um antidiabético muito usado, aumenta a eficácia dos linfócitos T do sistema imunológico e, portanto, das vacinas antivirais e anticancerígenas.

Os glóbulos brancos, conhecidos como linfócitos T, "guardam lembrança dos patógenos que encontraram durante infecções ou vacinações prévias", o que permite que lutem com mais rapidez contra infecções posteriores.

Esta "memória imunológica" foi estudada durante anos, mas, até agora, não se conheciam bem os mecanismos celulares envolvidos.

No entanto, os pesquisadores afirmam agora que podem "utilizar os tratamentos diabéticos para manipular a resposta das células T e aumentar a resposta do sistema imunológico perante as infecções e o câncer".

Leia mais em:

http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL1181786-6174,00-REMEDIO+CONTRA+DIABETES+AUMENTA+IMUNIDADE+AFIRMA+PESQUISA.html

 

 

Carrasco de tumores

Cientistas criam molécula capaz de evitar a expansão do câncer sem causar efeitos colaterais ao organismo

Jornal O Norte, por Rodrigo Craveiro – 01/06/2009

 

A boa notícia contra o câncer vem de Paris, das mãos e da mente de um armênio nascido no Líbano. Ara Hovanessian, diretor de pesquisas do Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS), descobriu que uma molécula sintetizada em laboratório representa a mais nova arma no combate aos tumores. O que torna a HB-19 espécie de tesouro da medicina é a versatilidade: inibe a expansão do tumor, evita a formação de vasos sangüíneos responsáveis pelo avanço da doença sem oferecer efeitos colaterais ao paciente.

Hovanessian explica que, para se notar a relevância da substância, é preciso entender a formação do câncer. "As células do câncer se reproduzem na massa do tumor, irrigado com sangue por meio dos vasos sangüíneos que a rodeiam e se infiltram nela", explica. A multiplicação de células cancerígenas depende de um suprimento constante de sangue, para fornecer oxigênio e nutrientes vitais ao tumor.

Leia mais em:

http://www.jornalonorte.com.br/2009/06/06/saude2_0.php

 

Estudo indica que 31% dos adultos que tiveram câncer na infância fumam

Agência Estado - 08/06/2009

 

Uma pesquisa realizada pela psiquiatra Célia Lídia da Costa sobre a incidência de tabagismo em pessoas que se recuperaram de câncer na infância revelou que 31% dos adultos que tiveram a doença fumam. Segundo a psiquiatra, ansiedade e estresse estão entre os motivos que levam essa pessoa que teve câncer a adotar um hábito que comprovadamente pode trazer novamente ao problema à tona.

Diretora do Grupo de Apoio ao Tabagista do Hospital A.C. Camargo, há cerca de cinco anos ela iniciou a pesquisa com 278 adultos, que será publicada na revista Public Health. O índice de 31% surpreende quando se compara à média da população fumante no Brasil - segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), 18%. A incoerência pode espantar os leigos. Para Célia e outros especialistas, essa contradição é apenas aparente.

Leia mais em:

http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/06/08/estudo+indica+que+31+dos+adultos+que+tiveram+cancer+na+infancia+fumam+6609927.html

design manuela roitman | programação e implementação corbata